O Conselho Regional de Medicina do Rio de Janeiro (CREMERJ-RJ) emitiu nesta quarta-feira (03) o parecer n° 02/2019 sobre a possibilidade do médico recusar a participação de doulas (leigas contratadas para auxiliar a grávida) durante o trabalho de parto.

O parecer reconhece que a gestante tem direito a acompanhantes durante o parto, mas reitera que o médico trabalha em um momento de grande responsabilidade e risco, demandando uma equipe alinhada.

Desta forma, caso qualquer pessoa – seja doula ou outro acompanhante – na sala de parto interfira no ato médico e na condução do trabalho de parto e/ou comprometa a segurança da saúde da parturiente e do recém-nascido, o médico deve garantir que este acompanhante seja retirado para preservar o bem maior: o direito à vida.

O documento também lembra que o médico – e não o acompanhante – é o responsável pelos desfechos negativos ou positivos durante o parto.

21 comments
  1. Gente, ninguém tá proibindo a doula. Apenas foi autorizado o médico a expulsar da sala se estiver atrapalhando. Se a doula (ou outro acompanhante) não atrapalhar, não vai ter que se retirar. Bom senso.

  2. Não é o que vejo em algumas situações com Doulas. Interferem de maneira anti ética, fazem relatórios para denunciarem médicos e enfermeiros que estudaram por anos e SIM podem pedir a pessoa Doula a se retirar se caso interferir no procedimento. Na hora de alguma intercorrência com resultado negativo, quem responde perante a lei é o coitado do médico.
    Cada um no seu galho!

  3. Só pra deixar claro: NENHUM PARECER,RESOLUÇÃO, tem o poder de ser maior que uma lei. Ou seja esse parecer não tem nenhum poder jurídico , sendo assim não tem como ser cumprido. Segundo doulas dão suporte emocional e auxiliam usando técnicas não farmacológicas para aliviar as dores do parto, nenhuma “atrapalha ” ou ” interfere” na conduta médica, nosso trabalho é de parceiria. Eu não entendo o porquê de deixar ou proibir algo que só ajuda a todos no cenário. É só uma construção mesmo. Pois como disse no começo essa resolução é inaplicável.

    1. Gente, ninguém tá proibindo a doula. Apenas foi autorizado o médico a expulsar da sala se estiver atrapalhando. Se a doula (ou outro acompanhante) não atrapalhar, não vai ter que se retirar. Bom senso.

    2. Não! Nem sempre “só ajudam”! A resolução diz que QUALQUER PESSOA que atrapalhe o andamento do trabalho de parto de forma negativa pode ser retirada do ato, sendo ou não doula!
      Não entendo a dificuldade na interpretação de texto…

      1. Nossa educação tá complicada mesmo!!
        O texto é claro, só vai expulsar, tanto a doula como qualquer outra pessoa, se, e somente SE, estiver atrapalhando o trabalho do médico.
        Qual a dificuldade de entender isso lendo o texto??

  4. Cesáreas devem ser feitas em tempo hábil para não comprometer a saúde da mãe e feto e não em último e desesperado momento ! O parto normal é maravilhoso e em grande quantidade de mulheres é possível fazê-lo sem problema algum ! O médico que está acompanhando deve ter a autonomia e liberdade para decidir este momento !

  5. É importante lembrar que doulas não são contratadas para bater palminhas, mas para dar apoio e informações as gestantes que muitas vezes são negligenciadas e não recebem um mínimo de apoio que merecem. Concordo que os médicos em situações de risco devem ter total direito e dever de retirar pessoas que os atrapalhem, porém discordo da afirmação que fica implicita na matéria, dando a entender que as doulas são leigas que atrapalham.
    Muitos dados apresentam resultados ótimos em partos com a presença de doulas, que são mulheres que estudam, se formam em cursos e doam a vida para isso (e uma grande maioria é graduada em áreas da saúde, como enfermagem e fisioterapia).
    Seria interessante aqui uma matéria sobre esses dados, contendo inclusive falar de médicos como o Dr Frederico do ES, que por experiência entendem a importância das doulas.

      1. Com certeza é muito mais fácil/rápido fazer cesareana. O grande problema é que se trata de procedimento cirúrgico que foi banalizado no Brasil. O ministério da saúde “pune” hospitais com taxa elevada de cesareanas. Países desenvolvidos tem taxas de cesareanas muito inferiores às nossas. Deveria ser feita apenas em situações de emergência.

      2. Não é verdade sua ignorante! É por causa da mistificação criada em torno do parto ,dito “normal”, quefezas pessoas repudiarem a prática e criar embaraços éticos e legais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You May Also Like