Uma nova resolução do Conselho Regional de Medicina do Rio de Janeiro (CREMERJ), publicada nesta quarta-feira (06) no Diário Oficial, acabou com a farra de doulas e militantes anti-cesariana que tentam se intrometer no trabalho médico durante o parto.

A Resolução 293/2019 estabelece que os médicos não poderão aderir ou assinar documentos que restrinjam ou impeçam sua atuação profissional, em especial nos casos de potencial desfecho desfavorável materno e/ou fetal.

A medida visa acabar com modismos feitos por pessoas sem qualquer conhecimento médico como o chamado “Plano de Parto”, criado por doulas e militantes anti-cesariana para restringir procedimentos médicos, muitas vezes salvadores, durante o parto.

O “Plano de Parto” geralmente é feito por meio de websites que disponibilizam um modelo padrão e serve para acusar o médico de “violência obstétrica” caso algum desejo da gestante leiga não seja atendido como a presença de uma doula.

A guerra pela aprovação da Reforma da Previdência continua. Faça parte: clique aqui

111 comments
  1. Não acho que o assunto seja tão extremista que envolva militância esquerdista, no meu caso, minha cidade é famosa por terem obstetras que fazem pressão nas gestantes para que façam cesárea sem a necessidade, claro há casos e casos e também há muitos médicos responsáveis mas, se a mulher opta por fazer o parto normal alguns médicos tentam fazer com que mudem de ideia pois os planos não cobrem a cesárea, ou seja, meio de ganhar um extra. Minha esposa optou pelo parto normal e faz o acompanhamento com doula, mas está não participará do parto, não podemos nos posicionar de um lado e atribuir tudo que acontece ao movimento que e contrário ao nosso, há pessoas, doulas entre outros que fazem escândalo, há, mas também há médicos e hospitais que realmente exageram nas imposições.

    1. Apenas um adendo de que as doulas cobram tudo 100% via particular. Elas não atendem convênios médicos. Apenas para constar que a parte financeira aí não é o alvo da discussão…

    2. 1o Parto cesarea não gera extra, se informe.
      2o Parto cesarea tem indicações técnicas e não feitas aleatoriamente, e são feitas para SALVAR VIDAS.
      Parto não é algo passível de opção neste sentido, uma cesarea quando indicada é um procedimento técnico com a finalidade já descrita. Nesse sentido quem vende “opções” é um charlatão. É preciso acabar com esse discurso de que o parto é algo simples “natural” visando criminalizar procedimentos técnicos, lembre-se a mortalidade materno-fetal é naturalmente alta em um ambiente sem a assistência adequada. Ao meu ver qualquer um que esteja em busca de outro tipo de assistência que não médica deveria ser responsabilizada por sua opção e ter a clareza de NÃO procurar um médico se for o caso. Porque a pessoa quer que um profissional que treinou e aprendeu técnicas e suas indicações atue no sentido contrário do que aprendeu e ainda assuma a responsabilidade quando algo sai errado, é um absurdo o que estamos assistindo. Total apoio ao CREMERJ.

    3. Falou ujma bobagem atrás da outra.
      Primeiro que quem é você para afirmar que várias cesarias são feitas sem necessidade. Com qual conhecimento de causa afirma isso?
      Só um médico, naquele momento e com aquela paciente reconhece os riscos de um parto normal.
      Você acha que médicos exageram nas imposições? Quais imposições? As de dar mais segurança para p bebê e a mãe?
      Você é leigo e fala muita besteira.
      Quando o bicho pega a dupla corre no hospital e pede a ajuda médica que muitas vezes vem tarde de mais e quem sofre na maioria dos casos são as crianças com falta de oxigênio as levando retardos mentais.
      Pense antes.
      E sua esposa teve muita sorte.
      Médico, segurança e um bom hospital nunca é demais.

  2. Excelente medida do Conselho. Ja passou da hora de militantes de esquerda ou fanaticos por ideias exoticas se metendo em areas q desconhecem, querendo dizer q o certo e a roda girar ao contrario. Este povo vive aplicando 171 nos.ingenuos. Cana neles.

    1. Não sou militante de esquerda, sou doula, sou católica e pró vida, discordo de muita coisa no seu comentário. Muito médicos mal intencionados, pró cesariana fazem mulheres viverem grandes traumas durante o parto, só por não querer “perder tempo” que ganhariam em uma cirurgia rápida e as vezes desnecessária. Cesarianas são importantíssimas para salvar vidas, mas não para submeter alguém a uma cultura de trabalhos médicos que não querem simplismente esperar o tempo do corpo da mulher.
      Sugiro que procure entender o trabalho das doulas e a ajuda que pretam a muitas mulheres e também a acompanhar médicos que dizem abertamente sobre os otimos resultados do acompamento de uma doula preparada.

      1. Então faça um curso de 7 anos em medicina e mais dois de especialização em obstetrícia para querer confrontar um médico, profissão sem nexo, não sei se é seu caso, mas vejo muitas “Doulas” com menos de 30 anos de idade que do nada viraram doulas, estão lendo artiguinho de internet e acham que podem opinar sobre decisão médica! Até acredito que no seu caso você pode entender quando o médico diz que se precisa fazer uma cesariana, mas já ouvi relatos de doulas arrumando pé de guerra em caso que a cesariana era de urgência! Enfim, sem curso de medicina sem doula, pode se haver uma especialização médica nessa área de atendimento mais humanizado das gestantes, mas me desculpe, nenhuma doula tem conhecimento médico e de urgência para interferir em uma interpretação médica!

  3. Eu conheço alguns casos que os médicos ficaram forçando parto normal e isso acabou matando as crianças ou as deixando com sequelas irreversíveis.

    1. Então Warley, esse é meu medo!
      Estou grávida, minha preocupação é o parto. Aqui na cidade existem mtos casos de negligência médica, onde os bebês vieram a óbito por erros médicos. Sei que o caso em questão aqui são as Doulas, mas pessoas que eu conheço e tiveram a presença delas tiveram excelentes partos e sem riscos.

      1. Sem riscos?
        Rsrs.
        Qualquer problema a mais que de, qualquer coisa pode faltar oxigênio para seu bebê e ele nascer com retardo mental ou mesmo vir a óbito.
        Um mediconentraria logo com uma Cesária.
        A dupla iria correndo pedir ajuda medica… podendo ser tarde de mais.

  4. Não sei qual o problema de parto normal ou cesária, se é vou doula ou se é em hospital, cada mulher deve escolher como quero que seu filho venha ao mundo e pronto . Tive dois filhos , um com parto normal e outro cesária os dois foi muito bom, desde que o bebê esteja bem e a mãe também tanto faz se é com doula se é cesária ou parto normal, agora vão querer se meter até como tu quer ganhar teu filho, vc só querer dizer se pra ti passar dor ou não, ahh faca me o favor vão se preocupar com outra coisa como dar assistência para as que dependem do SUS pra ter seus filhos.

    1. Apenas um detalhe, como uma doula irá avaliar o sofrimento do bebê? e se for necessário uma cirurgia de emergência e as pessoas estiverem na banheira da casa? Quem sabe dos riscos não é mae e sim o médico. Porem, a mae deve buscar um medico que a ouça, que acate seus desejos e que ambos possam juntos decidir o que é melhor e mais seguro.

    2. Perfeito seu posicionamento…cada qual com sua decisão. Aliás…nunca vi DOULA dando assistência as maternidades do SUS. Apenas no privado e PARTICULAR. 🤔🤔

  5. Muito bem.
    Os obstetras hj fazem parto com 37 semanas. Puro comodismo. “De este feto resolver nascer no meio de um final de semana?? E se a mãe quiser que seja no dua tal +1? Isto chama-se VIOLÊNCIA.
    Quer parar com a farra do parto cesárea?
    Pague-se um valor bem menor para cesárea e maior para os normais.
    M Á F I A!!!
    E em tempo,. Graças a Deus esta resolução está valida para o RJ. Que não se esparrame pelo Brasil e NÃO dê certo aí.
    Daqui a pouco vão proibir o acontecimento fisiológico do parto pir um decreto federal. Aff.

  6. Quanta asneira , nunca vi alguém falar tanta besteira junto , não se está questionando a indicação da cesárea , tão pouco a dificuldade de se arrumar médicos a questão é qua vc querendo ou não as chmadas “ Doulas “ não tem conhecimento médico nenhum sendo incapaz de identificar as complicações e dá segurança na assistência ao parto enfim com toda certeza vc não deve ser médico pois caso contrário não falaria tanta besteira .

  7. Bandidos…Estao enfiltrados em todas as profissões…Vice cidadao…fique alerta…Todos nos corremos riscos de assalto…

    1. Não dá para tratar a questão com extremismos. Um bom plano de parto visa deixar claras as escolhas da mulher em situaçõs em que cabem opções, não mandar o médico fazer ou deixar de fazer algo em situação de emergência. Tem também o efeito psicológico de fazer a mulher se sentir preparada. E assim como há doulas fanáticas e ideólogas, há também boas profissionais, inclusive com formação em fisioterapia, que podem ajudar muito a mulher a controlar a dor e acelerar o parto normal. Trabalham em uma àrea complementar ao ginecologista, e não contra ele. Então, o texto erra ao jogar tudo no mesmo balaio. Sou tão contra essa seita do parto normal quanto alguém pode ser, mas não dá para ser injusto com as pessoas.

      Isso posto, acho a resolução correta. Ataca diretamente os militantes. Já vi muitos tipos irresponsáveis que parecem desejar mais um parto normal do que um filho vivo. Tenho até pena das crianças que são criadas por mães assim.

  8. -parei de ler quando fala que a esquerda e o feminismo se apropriaram do parto humanizado. Ate aí, tava bom.

  9. Conheço uma pessoa que fará um parto com uma doula, escolheu a que cobrava menos: R$4.000,00 fora os materiais. Achar que o médico está “enchendo o bolso” é muita ignorância e pouco caso com as condições da criança e essa não tem possibilidade nenhuma de opinar. Desculpe, mas como médica ( não obstetra) acho Essa discussão absurda. Para que então investir nessa área? É muito interessante para o estado que as mulheres queiram fazer só parto normal e não precisa contratar médicos.

    1. Quanta asneira , nunca vi alguém falar tanta besteira junto , não se está questionando a indicação da cesárea , tão pouco a dificuldade de se arrumar médicos a questão é qua vc querendo ou não as chmadas “ Doulas “ não tem conhecimento médico nenhum sendo incapaz de identificar as complicações e dá segurança na assistência ao parto enfim com toda certeza vc não deve ser médico pois caso contrário não falaria tanta besteira .

    2. Sou médica não obstetra, um convênio paga por uma casarea ou parto cerca de 400,00 ( 10 x menos que uma doula) Aí pergunto,se um parto com doula evoluir mal, quem resolve?

      1. Doula não faz parto!
        Doula explica para gestante de uma forma que ela entenda as formas de parto e quem decide a melhor forma de parrir seu filho é a gestante com seu obstétra. Doula apenas fica do lado da parturiente mantendo a calma, oferecendo massagens e métodos para alivio da não farmacológicos de acordo a segurança do bebê que está a caminho…E volto a dizer Doula não faz parto.
        Acredito que não é difícil de entender…
        Médicos promovem a saúde
        Enfermeiros promovem a saúde
        Técnicos promovem a saúde
        Doulas promovem o bem estar
        Logo todos trabalham pela mesma causa…E quem ataca esses profissionais estão pouco enteressados em promover uma assistência humanizada.
        Sou formada em Biologia, Doula e tecnica de enfermagem em um centro obstétrico.

  10. Uma coisa é fazer uma cesárea por necessidade de última hora. Outra é fazer parto cesáreo marcado como se faz por aí. Quero ver proibirem a marcação antecipada de parto.

    1. Nesses tempos obscuros em que vivemos onde todos têm suas verdades absolutas e intocáveis e o clima é de total intolerância a opiniões contrárias não se consegue envergar o óbvio. Tanto obrigar uma mulher a ter parto normal quanto não permitir que se faça o parto cesariano são formas absurdas de imposições. Informas dos benefícios de um de outro e deixar que a mulher decida é o único caminho razoável.

    1. Em casos em que se necessita avaliação das condições materrno- fetal, obviamente sim. O médico foi habilitado para isso.

    2. Para senso crítico não precisa ser médico não, mas para decidir conduta num trabalho de parto sim!!
      E necessita 6 anos de faculdade e mais tre ou quatro de residência médica, e ainda assim não é sufciente tendo que se atualizar na velocidade da informática, pois o GOOGLE, se atualiza muito mais rápido que os congressos. Quanto tempo éne estatuo para se firmar Doula??

  11. Assunto delicadíssimo.Tenho filhos e sei como na saúde pública, querem que você tenha parto normal a qualquer custo.Quase perdi minha filha por isso.E minha irmã, passou pelo contrário, uma médica do particular ,que não queria fazer parto natural, colocando vários empecilhos,mas que na verdade ,dizia receber pouco (pelo plano de saúde),pra sair de casa no meio da noite,passar horas de assistência ou perder folgas ou férias. Conversando com amigas e familiares,vemos casos repetidos,excessos,tanto pra um lado,quanto pra outro.E que na maioria,não respeitam a decisão e a opinião da mãe. E poe em risco a vida do bebê. Generalizar nunca é bom,mas a maioria dos médicos se sentem deuses nesses momentos.Seguem apenas o que querem firmemente, seja obrigando você a “parir”normal, porque na hora de “fazer foi bom” disse o médico plantonista, e o bebê já estava, segundo a junta médica de pré natal, em sofrimento fetal e risco de sequelas. Ou a dondoca que quer ir pra Paris,e “retira”o bebê com condições de parto normal,dias antes, pra não atrasar suas férias. Precisa se de observar as condições únicas e individuais, de cada mãe, filho e parto.

    1. Cândida
      Gostaria muito que vcs que se expressaram aqui estivessem 1dia!!! Apenas 1dia ou 1noite dentro de um pré parto de um hospital municipal!!!!! Queria ver falarem o que li aqui!!!! Vcs leigos, não tem noção das dificuldades que se passa num hospital público!!! Não me venham falar de um parto particular!!! Essa não é a realidade brasileira!!! E por falar em partos humanizados(?) não somos índias!!! Não trabalhamos na selva! Andamos de salto!!!! Passeamos em shoping, a maioria nunca foi a uma academia , ou pelo menos caminharam para exercitarem a musculatura!!!! Não podemos comparar!!!!!

      1. Ooii???
        Tive um parto natural no Caism da Unicamp graças a uma doula que contratei por mil reais e nunca fui à academia. Entendo sim que o sistema de saúde no Brasil seja um caos, mas qual seria a dificuldade, por exemplo, de deixar a mulher em TP sem ficar colocando ocitocina sintética, já que essa aumenta muito mais a dor? Qual o problema em deixar a mulher parir a placenta, já que quando arrancaram a minha a força deixaram pedaços, os quais a GO teve que retirar enfiando as próprias mãos? Qual o problema em não aspirar o bebê se ele nascer com apgar em 9/10?
        Olhem pros países de primeiro mundo e vejam os índices de mortalidade de bebês e mães, já que possuem uma cultura de parto natural. Isso não tem nada a ver com esquerdismo não.

  12. Suas palavras soariam bem nas bocas de Manuela d’Ávila ou alguma outra feminista. Igualzinho. Parto Humanizado, reeducando, tutor… tudo palavra inventada pra conceitos já existentes, fingindo trazer alguma novidade, mas que no fundo só servem pra encarecer processos e aumentar lucros de ONG’s

  13. O parto da minha menina foi natural e humanizado acompanhado por uma médica que segue a linha das políticas de humanização. Esta nota não esclarece que existe uma política de humanização do parto desde 2004. Está nota tb não esclarece que o direito de acompanhamento de doula além do pai da criança É LEI em muitos municípios. O artigo trata as doulas como se fossem criminosas e isso é um verdadeiro absurdo. As doulas não realizam procedimentos médicos e nem ao menos intervém neste sentido. Elas estão lá para minimizar as dores do parto natural e oferecer suporte emocional pra parturiente. Fui acompanhada por doulas e enfermeira obstétrica e todas me avisaram sob quais condições seria necessária uma cesaria caso o trabalho de parto não evoluisse e sob algumas condições médicas. Portanto, falar que as doulas são militantes anti-cesaristas é uma calúnia atroz!!!! O que ocorre é que infelizmente o Brasil é o país que tem um dos maiores índices de cesaria no mundo, sendo que muitas cesarias são realizadas por pura conveniência do médico que quer tirar férias ou não quer ser atrapalhado no fds por um trabalho de parto natural. A OMS ja alertou o Brasil para este indice exorbitante e estabeleceu orientações para politicas de humanizacao. E isso porque o parto normal é muito melhor pro bb e pra mae. Aqui em Uberaba uma médica ludibriou uma gestante levando-a para uma cesaria na 36 semanas de gestação. A gestante não tinha NENHUM problema de saúde e o US acusava que o BB estava ótimo. Mas estavam os perto do natal. Coincidência? Não!! Resultado: o BB nasceu antes da hora por uma cesaria e teve que ficar na UTI longe da mãe. Casos assim precisam ser divulgados porque isso também é violência. Antes de escrever algo, estude o assunto a fundo. Nitidamente o autor é um desinformado.

    1. Antes de deixar minha opinião deixo claro sou conservadora! Tenho 2 filhos o primeiro uma cesariana desnecessária tudo evoluia bem para um parto normal mais segundo a mesica tava “demorando muito”, meu segundo filho tive acompanhamento de doula, enfermeira obstetra e medica obstetra , não tenho nem como comparar o nascimento do primeiro e o do segundo! Lamentável essa matéria

    2. Olha, realmente um texto medíocre e superficial, recheado de preconceitos como várias das respostas e comentários aqui expostos.
      Em primeiro lugar devemos colocar a opinião da mãe e o seu estado de saúde, bem como a saúde e risco para a criança. Depois, vem outras situações. Doulas? Podem ajudar, desde que não queiram ou se coloquem como protagonistas, querendo aparecer e justificar o alto preço que cobram ( muitas vezes superior ao valor pago aos médicos pelos planos de saúde) , inclusive às vezes tentando interferir na conduta do obstetra ou do pediatra – isso ocorre.
      De outro lado, isso de ficar denegrindo a classe médica, em especial aos obstetras, é deprimente é ridículo. Será que passa pela cabeça que são profissionais treinados e que antes de serem médicos, são pessoas como todos? São filhos de alguém, pais ou mães de alguém , ou avó/avô de alguém!!! Com certeza absoluta, as mães que aqui falam tão mal dos médicos, com tanto rancor ou preconceito, adorariam que seus futuros filhos cresçam e sejam médicos!! Que contra senso, não? Talvez aí poderiam ver o quanto é difícil e árduo um médico obstetra ser formado, o quanto estuda e trabalha, quanto sofrimento e responsabilidade tem e conhecimento detém para poder realmente lhe ajudar.
      Doula? Cursinho valita de final de semana tipo mistura de coching com pitadas de enfermagem, tem seu valor, mas não se compara com o valor dos médicos.
      Não concorda? Ok, tenha seu filho em casa, na banheira, na praia, bi mato, … como quiser, mas não culpe o médico se ele não aceitar isso ou se , na hora que uma merda qualquer acontecer com seu filho ou com você, POR APENAS SEU GOSTO ou SUA VONTADE , não puder ser corrigida a tempo . Aí, as “doulas” desaparecem e quem vai tentar te ajudar vai ser um médico. Pense nisso. A medicina tem seus problemas e modismos também, mas tudo é absolutamente estudado e comprovado, evoluindo gradativamente no sentido de dar cada vez mais segurança para o paciente . Erros e maus profissionais existem hoje, como sempre existiram e sempre existirão, em todas as áreas e profissões, mas na medicina, pela própria característica da profissão e da formação, isso é bem menor. Não seja preconceituoso

  14. Que bom, já era hora de o conselho de medicina fazer alguma coisa, o que tem de criança nascida com sofrimento fetal agudo, com mecônio, Apgar rebaixado que aparece nesses partos rústicos nao ta no gibi! O pior é receber a inocente criança no hospital à beira da morte pra tentar corrigir a bobagem que essas doulas e as mães lacradoras cometem por puro modismo só pra receber like em foto no instagram.

    1. Concordo com você, tive uma experiência, recente em janeiro, esta demora no parto, acompanhado de uma DOULA, parte de minha família.

    2. Que comentário recheado de preconceito. Mecônio nem sempre é sinal de sofrimento fetal…cada caso é um caso e deve ser avaliado junto de outros indicativos.
      Se existem excesso de crianças em.sofrimento fetal e com apgar baixo o problema é sempre da assistência que essa mãe/bebê recebeu. A má assistência é a vilã do negócio (de todo negócio).
      O problema não é do tipo de parto. Até porque quando se detecta algum problema durante o trabalho de parto às opções são sugeridas e os procedimentos realizados.
      Não sei se vc sabe mas a cesárea foi criada para resolver e corrigir esses problemas que ocorrem durante o parto e salvar vidas.
      Ah! E a doula não faz o parto! A presença dela é “apenas” para apoio emocional, físico e psicológico para a mulher e faz total diferença nesse momento.

      1. Como auditora do SUS, vejo a situação do ponto de vista de mulheres que não conhecem doulas, parto humanizado porque simplesmente não tem hospitais que fazem partos nas suas cidades, sendo encaminhadas para outros municípios para fazerem o parto agendado, pois aguardar o trabalho de parto é perigoso, pois pode nascer na ambulância. Esta é a realidade de mais de 50% dos municipios do Brasil. Mesmo assim praticamente todos os partos são realizados em ambiente hospitalar, com boa assistência. O aumento de partos cesários estão relacionados com os mais de 20 mil leitos fechados no SUS. Outro fator a ser discutido é o aumento de peso dos bebês ao nascer, nestas ultimas décadas, de uma lado muito positivo, pois, as gestantes foram bem assistidas, mas de outro dificultam o.parto normal. Um bom relacionamento entre gestantes e médicos é a melhor conduta para um parto sem traumas.

        1. Querida. Acho melhor você estudar o Projeto do Parto Adequado para se informar melhor sobre o que é ideal num parto e porque os partos normais são melhores que as cesarianas nas maiorias das vezes. Você como gestora de saúde pública e formadora de opinião tem que se resguardar do que fala. Países de primeiro Mundo priorizam partos normais e os bebês pesam até 4 quilos.

    3. Falou tudo! É um bando de retardadas feministas que na verdade não tem a menor ideia do mal que fazem a si próprias com esse modismo dominante (por enquanto) de querer achar que uma reles doula ou uma enfermeira tem mais competência que um médico, que estudou 10 anos, fez residência, especialização etc, para fazer um parto. Depois, os filhos nascem com sequelas graves e as feministas vão procurar o médico opressor para tratarem os filhos vítimas da ignorância da mãe lacradora feminista…
      Querem ser feministas, lacradoras? Querem defender o direito das mulheres? Então, vão para o Afeganistão! Bando de vagabundas desocupadas!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You May Also Like