Uma ação do serviço de remoção e higienização da gestão Bruno Covas (PSDB) na Prefeitura de São Paulo neste sábado (6) levou roupas, mantas, colchões e objetos pessoais de três moradores de rua que cuidam da praça Chão de Giz, no cruzamento das avenidas São João e Duque de Caxias, na República (região central).

Abandonada pela prefeitura, a praça foi revitalizada por Alexandre Pinto Martinez, 43 anos, que vive no local ao lado de outras duas pessoas. Dependente químico, ele fez jardinagem, pintura e a conservação do espaço, que fica próximo à cracolândia.

Na manhã seguinte à madrugada mais fria do ano na capital (chegou a 7,4°C), Martinez foi surpreendido por volta das 11h com a chegada do serviço de remoção. “Esperaram os dias mais frios, em pleno sábado, para vir aqui e dizer que tinha um monte de madeira na praça. Chegaram arrastando barraca, mochila, ferramentas. Levaram roupas, mantas e colchão, que estava secando. Fiquei só com a roupa do corpo”, afirma Martinez. “Levaram até um carrinho de mercado que foi recebido como doação, que a gente usa para carregar água para molhar as plantas”, diz.

João Roberto Silva Temporini, 28 anos, também mora na praça e explicou como os funcionários da prefeitura agiram. “Vejo como saqueadores. Levaram só o que interessava para eles. Os cacarecos eles não quiseram levar”, afirma. “Eu tive que abraçar a televisão porque queriam levar, assim como o fone de ouvido do Alexandre. Quiseram tomar o balde com pincéis e tinta, tudo novo”, afirma.

A guerra pela aprovação da Reforma da Previdência continua. Faça parte: clique aqui

6 comments
  1. O Bruno Covas é um pertubado vocês não perceberam que ele que mandou fazer isso agora quero ver se esse lixo passa um dia na rua pra ver o friu que está ele não gosta dos moradores de rua humilha os pobres e fode com a vida dos brasileiros atrás do balcão de prefeito esse merda merecia execução em praça pública ainda com a família pagando a bala pq nem a bala da execução vindo do dinheiro público ele merece. Bruno Covas o lixo do xurumi

  2. Não tem lugar na Fundação Padre Anchieta ou nas instalações do novo MIS, para abrigar essa gente?

    1. Não, o que eles querem é deslocar o pessoal para abrigos distantes, onde no dia seguinte, são obrigados a sair logo cedo e não ter como voltar ao centro onde conseguem suas esmolas ou doações.

  3. O Diabo é que bruno não era o preferido da população para ser prefeito. Bruno é o efeito da deserção do Dória.

  4. Espero que o senhor prefeito Bruno covas tome alguma atitude, para ajudar essas pessoas que ficaram ao relento sem seus cobertores e colchões.
    A família do senhor Bruno covas, tenho certeza que está bem quentinha em sua residência

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You May Also Like