Em resposta à matéria da Caneta mostrando o encontro do procurador-geral do Ministério Público do Rio de Janeiro (MP-RJ), José Eduardo Ciotola Gussem, com o jornalista Octavio Guedes, da GloboNews, o MP-RJ emitiu uma nota afirmando que “faz parte da estratégia de comunicação e fortalecimento da imagem institucional manter contato com todos os veículos de comunicação”.

Assim como o gaguejante jornalista da GloboNews, a nota confirma o encontro realizado na “última sexta-feira, 18/01” para “tratar de assuntos técnicos relacionados à sua atribuição originária”.

Por fim, o MP-RJ “reafirma, uma vez mais, sua postura apartidária, sem vínculos ideológicos, que pautam a condução dos procedimentos investigativos com estrita tecnicidade, respeito ao sigilo das investigações e às decisões dos Tribunais Superiores”.

Curiosamente, o MP-RJ que se encontra com jornalista da GloboNews na porta da Globo para “tratar de assuntos técnicos” negou à Caneta o acesso completo ao relatório do COAF alegando as investigações correm “sob sigilo”.

Contribua com o trabalho da Agência Caneta: clique aqui

10 comments
  1. Já vimos esse filme antes. Membros do Ministério Público encontrando com jornalistas da Globolixo em buteco. Que nível de estratégia de comunicação. Pensam que a gente é otaria e falaciosa como eles. São ignorantes transparentes.

  2. Espera ai!, “estratégia de comunicação”? Que estratégia é essa de que um Ministério Público necessita? Há áreas que leem a Lei, interpretam-na e promovem a sua aplicação, ou pela defesa do cidadão, ou pela condenação dele. Pronto!, Se precisar de estratégias de comunicação é por que vivem insegurança de suas teses, ou por que ali domina a inconvicção, ou, até, por que há má intenção nas decisões tomadas e elas precisam ser escondidas. Enfim, essa explicação tem o tom da malandragem no ambiente da aética.

  3. Toda profissão tem um código comportamental não escrito, geralmente pautado pela ética e pelo bom senso. Fonte jornalística não guarda nenhuma similaridade com pessoa entrevistada, ou não deveria. A explicação do Otávio Guedes e a nota do MP-RJ são auto-incriminadoras. Ah! Ele estava sendo entrevistado. Local errado; restaurante não é lugar para se conceder entrevista. Servidores públicos, especialmente os de médio e alto escalões, detêm informações “privilegiadas”, assim mesmo entre aspas. No caso Gussen e do promotor do GAECO que o acompanhava, por exemplo, são eles que têm detalhes de processos que correm sob segredo de justiça. Por isso, servidores públicos, caso aceitem conceder entrevista, devem fazê-lo em seus gabinetes para tornar oficial o evento e evitar suspeitas de vazamento (o que tais servidores não podem fazer). Ah! ele estava apenas confirmando (ou retificando, ou negando, etc.) informações que o jornalista já tinha em mãos. Local errado de novo e pelas mesmas razões. Se, como disse Otávio Guedes, ele estava fazendo seu trabalho e conversando com uma fonte, a situação fica ainda pior. Fonte é aquela pessoa que “passa” informações e, às vezes, até documentos, cabendo ao jornalista investigar e confirmar a veracidade do material — e mais, cabe ao jornalista proteger suas fontes. Todos os vazamentos de informações, desde sempre, são obra e arte de “fontes”; alguém conhece alguma delas? Claro que não. Não sei se este caso grotesco é resultado de amadorismo ou de incompetência mesmo. O fato é que praticamente se comprovam as suspeitas, de um lado, de que o próprio MP-RJ é que está vazando informações; de outro, que a Rede Globo está empenhada em criar narrativas no mínimo constrangedoras e desestabilizadoras. Os dossiês que assassinaram reputações foram elaborados exatamente dessa forma.

  4. Como acreditar nesse relatório agora,se a globo lixo tem acesso e mais ninguém tem? Tudo é golpe para acabar,tripudiar com o novo governo! Vamos denunciar e divulgar isso no face! Somos milhões,e temos força!

  5. O desespero é tão grande que ao final da Nota Oficial eles colocaram até um link com “explicação” do “jornalista” da GloboNews. Aquela “explicação” maravilhosa, onde o cara rateia mais que um Fiat 147 a álcool numa manhã de inverno. PQP!!! Kkkkkkkkk…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You May Also Like