Após a pífia campanha presidencial de Marina Silva, o partido dela, a “Rede Sustentabilidade”, está cada vez mais perto da extinção.

Nas últimas eleições, a Rede só conseguiu eleger uma deputada federal, a indígena Joenia Wapichana (RR), e cinco senadores. De acordo com a cláusula de barreira aprovada pelo Congresso em 2017, tal desempenho impede que o partido obtenha recursos do fundo partidário e tenha direito à propaganda eleitoral de rádio e televisão.

Uma decisão final sobre o futuro do partido deveria ter sido tomada no final de dezembro, mas foi adiada para o Congresso Nacional Extraordinário da Rede, a ser realizado nos dias 30 e 31 de março em Brasília.

Dois senadores eleitos pelo partido, entretanto, não aguentaram a espera. Alessandro Vieira (SE) deixou o partido no dia 19 de dezembro rumo ao PPS. E o Capitão Styvenson (RN) deixou a Rede rumo ao Podemos, hoje (04).

Desta forma, o partido de Marina Silva ficou com apenas três senadores: Fabiano Contarato (ES), Flávio Arns (PR) e Randolfe Rodrigues (AP). Por enquanto.

A guerra pela aprovação da Reforma da Previdência continua. Faça parte: clique aqui

16 comments
    1. REDE ficou em quarto lugar. Foi um dos partidos que mais elegeu senadores. Ficou na frente de mais de 25 partidos.

  1. Por mim nen deveria ter sido criado, quanto mais sustentado por dinheiro público, e no mais vai tarde, quanto menos partido MELHOR, bom seria se fosse apenas dois.

  2. Sempre soube que aquele “idílio” explícito com o bandido Aécio Neves não poderia terminar em boa coisa. Até então, Marina Silva era um nome de respeito, legitima representante dos seringueiros, castanheiros, agricultores, e oitros seguimentos de trabalhadires que carregam esse país nas costas.
    A nova postura da candidata a fez perder a identidade com as suas bases. Conclusao: cabô!

    1. Ah, foi a proximidade com Aécio e não a campanha sórdida contra ela, movida pelo PT, que a levou a “não terminar em boa coisa”?

    2. Conversa! A Marina mal consegue falar. É farinha do mesmo saco. Se fosse presidente do Brasil não teria pulso firme necessário pra resolver os problemas e ficaria tudo na questão do plebiscito. Vai tarde!

  3. Reguffe já se apresentou a presidência ao senado sem partido, portanto também saiu da Rede lixo.

  4. Com a debandada dos poucos representantes eleitos, fica claro que os repasses são mais importantes que verdadeiramente representar os interesses do eleitor no Congresso. Há momentos que a ideologia mais importante é a do cifrão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You May Also Like