A professora Gilmara Craveiro de Vasconcelos foi detida por injúria racial na madrugada do último sábado (20) após chamar um eleitor de Jair Bolsonaro (PSL) de “preto e pobre” em um restaurante na cidade de Sobral-CE, terra de Ciro Gomes e família.

De acordo com informações da Delegacia Regional de Sobral, a professora afirmou que o representante comercial Policarpo Rodrigues era “pobre e preto” e “não sabia votar” por apoiar Bolsonaro. A polícia foi chamada e Gilmara terminou autuada por injúria racial, mas foi liberada hora depois ao pagar fiança de mil reais. Confira o vídeo:

Atualização, 10:20: Ao contrário do que diz a autora do vídeo em 1:40, a professora foi realmente autuada por falar a frase contra um eleitor de Bolsonaro. Segundo ela, como o alvo da injúria racial é “preto e pobre”, logo teria que votar em Haddad.

Contribua com o trabalho da Agência Caneta: clique aqui

3 comments
  1. Esse é o outro lado dos esquerdistas que a mídia não mostra, mas, se fosse eleitor de Bolsonaro, o circo estaria armado por esses jornais maquiavélicos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You May Also Like