Cerca de 5,5 milhões de estudantes brasileiros participaram neste domingo (4) do Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM). E, como ocorreu em outros anos, o exame “lacrou”.

Em uma das 45 questões da área de linguagens, que engloba conhecimentos de língua portuguesa, literatura e língua estrangeira (inglês ou espanhol), os estudantes tiveram que responder uma questão sobre o “‘dialeto secreto’ dos gays e travestis”.

“Nhai, amapô! Não faça a loka e pague meu acué, deixe de equê se não eu puxo teu picumã! Entendeu as palavras desta frase? Se sim, é porque você manja alguma coisa de pajubá, o ‘dialeto secreto’ dos gays e travestis”, iniciava o texto do Midiamax utilizado na prova.

Em um país onde 70% dos estudantes que concluem o Ensino Médio sequer sabem interpretar uma reportagem corretamente, fica difícil entender a importância do “pajubá” no Exame Nacional de Ensino Médio. A não ser, claro, para “lacrar”.

“Pajubá”, um dos temas abordados pelo Enem no país onde 70% dos estudantes concluem o Ensino Médio sem saber interpretar uma reportagem corretamente
Contribua com o trabalho da Agência Caneta: clique aqui

12 comments
  1. Pajubá é um dialeto??? Pelas minhas pesquisas, se trata de SOCIOLETO, ou seja, uma variante linguística falada por pessoas de certos grupos sociais. Já o dialeto é uma variante linguística falada em uma determinada área ou região, muito mais abrangente que a primeira. Pra mim, essa questão deveria ser anulada, está totalmente fora de contexto.

  2. Graças a Deus o PT saiu da presidência, olha a besteira que fizeram, um exame sério para ser aplicado aos jovens afim de conseguirem bolsas de estudo, colocar em seu conteúdo uma porcaria de gíria ou dialeto!? Pelo amor de Deus, onde isso é importante? Onde isso tem relevância? Onde isso vai acrescentar na vida dos Brasileiros e na sociedade? Com todo respeito aos gays e travestis, acredito que até eles concordam que as coisas sérias devem ser levadas de acordo com seu devido fim.
    Brasil vai melhorar!

  3. Esse Enem lacrou pra caramba, a cada duas ou três perguntas mais ou menos importantes tinha uma com o único objetivo de lacrar. E as únicas duas perguntas que tinham sobre fé cristã foram descontextualizadas, o que é um claro desrespeito a fé da grande maioria das pessoas.

  4. Na verdade, para resolver a questão, não se fazia necessário entender os termos ali contidos, pois estavam ali apenas servindo de exemplificação de um dialeto que foi dicionarizado. Para chegar a resposta certa, não precisa traduzir ou entender a linguagem gay.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You May Also Like