A revista Veja, principal título da falida Editora Abril, perdeu 401.048 exemplares de circulação entre janeiro e novembro de 2018.

De acordo com dados do Instituto Verificador de Comunicação (IVC), no começo do ano passado, a revista comandada pelo petista André Petry tinha 1.203.372 exemplares de circulação.

Já em novembro, os números caíram para 802.324, sendo 439.596 exemplares impressos e 362.728 digitais.

A velha mídia segue caindo.

31 comments
  1. Tem que ver também se a queda nos impressos está atrelada com assinatura digital. Se eles estão perdendo no impresso e ganhando no digital então não é tão ruim assim. Mas perder assinatura de jornais impressos é algo normal, visto que cada vez mais as pessoas estão conectadas com internet com o smartphone.

    1. O quê esperar de uma empresa que vivia com dinheiro público? Faliu, não pagou ninguém , mantém estreitas ligações com a facção petista . O dinheiro do assinante é sagrado e não quer ser manipulado.

  2. Fui assinante de Veja por 37 anos, sempre me informei de política e economia através de suas páginas – era fã dos irmãos Civita e do seu simbolo, “a arvorezinha”, adquiri também vasto conhecimento acerca de tudo que ocorria no mundo, mas comecei a me perguntar por que a revista se dedicava tão pouco às notícias sobre ciências e pesquisas pelo mundo afora, tornando-se uma revista politizada e conforme o relato de muitos “esquerdista”. Assim, infelizmente, depois de quase quatro décadas de fiel assinante, em 2017 cancelei minha assinatura. Me ofereceram muitas vantagens para voltar a ser assinante, mas perdi o interesse.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You May Also Like