Em matéria de pesquisas eleitorais, a desinformação reinou no primeiro turno. De “pesquisa” feita com amostra irrelevante de 1000 pessoas a “levantamento” de website fundo de quintal sem metodologia ou registro, apareceu de tudo nestas eleições.

Entretanto, nove diferentes pesquisas registradas no TSE se destacaram no noticiário durante o primeiro turno: BTG Pactual/FSB, CNT/MDA, Crusoé/Paraná Pesquisas, CUT/Vox Populi, Datafolha, Datapoder360, Ibope, RecordTV/RealTime Big Data e XP/Ipespe.

As pesquisas de boca de urna não foram incluídas porque, por definição, foram feitas no dia da votação e não anteriormente. Analisamos somente os resultados dos dois primeiros colocados, Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT), dado que são os candidatos que disputam o segundo turno. E levamos em consideração apenas os votos válidos porque somente eles contam.

Confira nossa comparação das pesquisas e aquela que mais chegou perto de acertar no 1° turno.

BTG Pactual/FSB

O levantamento contratado pelo BTG Pactual junto ao Instituto FSB passou longe de acertar.

A última pesquisa antes das eleições de 07 de outubro foi divulgada na segunda-feira anterior (01/10) e mostrou Bolsonaro em queda, com 35% das intenções de votos válidos, contra 27% de Haddad. No resultado real, Bolsonaro teve 46,03% dos votos válidos contra 29,28% de Haddad.

Veredicto: ficou longe. Pesquisa mostrou 11,03 pontos percentuais a menos para Jair Bolsonaro e 2,28 pontos percentuais a menos para Fernando Haddad, um erro total de 13,31 pontos percentuais. Como a margem de erro era de 2 pontos, o erro fora da margem foi de 9,31 pontos percentuais.

CNT/MDA

A Confederação Nacional do Transporte (CNT) contrata tantas pesquisas – a maioria junto à MDA – que possui uma seção em seu website apenas para elas. A última pesquisa CNT/MDA antes do primeiro turno foi divulgada um dia antes, no sábado (06/10), e foi a que mais se aproximou do resultado real.

Em intenções de votos válidos, a CNT/MDA mostrou Bolsonaro com 42,6% contra 27,8% de Haddad. Na abertura das urnas, Bolsonaro teve 46,03% dos votos válidos contra 29,28% de Haddad.

Veredicto: foi a pesquisa que mais chegou perto do resultado real, mostrando 3,43 pontos percentuais a menos para Jair Bolsonaro e 1,48 pontos percentuais a menos para Fernando Haddad, um erro total de 4,91 pontos. Como a margem de erro de 2,2 pontos percentuais, o erro fora da margem foi de apenas 1,23 pontos percentuais.

Crusoé/Paraná Pesquisas (ou Empiricus/Paraná Pesquisas)

Ao contrário do que muitos afirmam nas redes sociais, a pesquisa contratada pela Crusoé junto à Paraná Pesquisas (com apoio da Empiricus) não foi a que mais se aproximou do resultado real do primeiro turno presidencial.

A última versão do levantamento antes do primeiro domingo eleitoral foi exibida na sexta-feira anterior (05/10) e mostrou Bolsonaro com 40,9% das intenções de votos válidos contra 25,6% de Haddad. Na abertura das urnas, Bolsonaro teve 46,03% dos votos válidos contra 29,28% de Haddad.

Veredicto: errrouuu. Pesquisa mostrou 5,13 pontos percentuais a menos para Jair Bolsonaro e 3,68 pontos percentuais a menos para Fernando Haddad, um erro total de 8,81 pontos. Dada a margem de erro de 2 pontos percentuais, o erro fora da margem foi de 4,81 pontos percentuais.

CUT/Vox Populi (ou Brasil247/Vox Populi)

Contratada pela Central Única dos Trabalhadores (CUT) – entidade ligada ao Partido dos Trabalhadores (PT) – junto ao Vox Populi, a pesquisa também possui outra versão contratada pelo Brasil247, declaradamente de esquerda, também junto ao Vox Populi.

A última versão da pesquisa antes do primeiro turno foi divulgada no sábado (06/10) anterior à votação dominical e foi a única a superestimar as intenções de voto no candidato do PT. Em intenções de votos válidos, o levantamento mostrou Bolsonaro com 40% contra 31% de Haddad. Na abertura das urnas, Bolsonaro teve 46,03% dos votos válidos contra 29,28% de Haddad.

Veredicto: pesquisa mostrou 6,03 pontos percentuais a menos para Jair Bolsonaro e 1,72 pontos percentuais a mais para Fernando Haddad, um erro total de 7,75 pontos. Considerando a margem de erro de 2 pontos, o erro fora da margem foi de 4,03 pontos percentuais.

Datafolha

A pesquisa mais divulgada pela velha mídia, junto com o Ibope, também teve um erro considerável no primeiro turno.

A última versão do levantamento antes do primeiro domingo eleitoral foi exibida no sábado anterior (06/10) ao dia da votação e mostrou Bolsonaro com 40% das intenções de votos válidos contra 25% de Haddad – um resultado praticamente similar aos dos levantamentos Crusoé/Paraná Pesquisas, Ibope e XP/Ipespe. Na abertura das urnas, Bolsonaro teve 46,03% dos votos válidos contra 29,28% de Haddad.

Veredicto: errouuu. Pesquisa mostrou 6,03 pontos percentuais a menos para Jair Bolsonaro e 4,28 pontos percentuais a menos para Fernando Haddad, um erro total de 10,31 pontos. Dada a margem de erro de 2 pontos percentuais, o erro fora da margem foi de 6,31 pontos percentuais.

Datapoder360

O instituto criado pelo site Poder360 passou longe do resultado real no primeiro turno.

A última versão da pesquisa antes do primeiro domingo eleitoral foi divulgada na sexta (05/10) anterior ao dia da votação e mostrou Bolsonaro com 33% das intenções de votos válidos contra 27% de Haddad. Na abertura das urnas, Bolsonaro teve 46,03% dos votos válidos contra 29,28% de Haddad.

Veredicto: passou longe. Pesquisa mostrou 13,03 pontos percentuais a menos para Jair Bolsonaro e 2,28 pontos percentuais a menos para Fernando Haddad, um erro total de 15,31 pontos. Dada a margem de erro de 2 pontos percentuais, o erro fora da margem foi de 11,31 pontos percentuais.

Ibope

A pesquisa mais divulgada pela velha mídia, junto com o Datafolha, também teve um erro considerável no primeiro turno.

A última versão do levantamento antes do primeiro domingo eleitoral foi exibida no sábado anterior (06/10) ao dia da votação e mostrou Bolsonaro com 41% das intenções de votos válidos contra 25% de Haddad – um resultado praticamente similar aos dos levantamentos Crusoé/Paraná Pesquisas, Datafolha e XP/Ipespe. Na abertura das urnas, Bolsonaro teve 46,03% dos votos válidos contra 29,28% de Haddad.

Veredicto: errouuu. Pesquisa mostrou 5,03 pontos percentuais a menos para Jair Bolsonaro e 4,28 pontos percentuais a menos para Fernando Haddad, um erro total de 9,31 pontos. Dada a margem de erro de 2 pontos percentuais, o erro fora da margem foi de 5,31 pontos percentuais.

RecordTV/RealTime Big Data

Muito pouco divulgada pela velha mídia, exceto obviamente pela contratante, a pesquisa RecordTV/RealTime Big Data chegou mais perto do resultado final do que as amplamente divulgadas Datafolha e Ibope.

A última versão do levantamento antes do primeiro domingo eleitoral foi exibida na sexta anterior (05/10) ao dia da votação e mostrou Bolsonaro com 40% das intenções de votos válidos contra 28% de Haddad. Na abertura das urnas, Bolsonaro teve 46,03% dos votos válidos contra 29,28% de Haddad.

Veredicto: errouuu. Pesquisa mostrou 6,03 pontos percentuais a menos para Jair Bolsonaro e 1,28 pontos percentuais a menos para Fernando Haddad, um erro total de 7,31 pontos. Dada a margem de erro de 2 pontos percentuais, o erro fora da margem foi de 4,03 pontos percentuais.

XP/Ipespe

A última pesquisa analisada pela Caneta foi contratada pela XP Investimentos junto ao Instituto de Pesquisas Sociais, Polícias e Econômicas (Ipespe) e também errou.

A última versão do levantamento antes do primeiro domingo eleitoral foi divulgada na sexta anterior (05/10) ao dia da votação e mostrou Bolsonaro com 41% das intenções de votos válidos contra 25% de Haddad (36% contra 22% nos votos totais), um resultado similar ao do Ibope e muito próximo de Crusoé/Paraná Pesquisas e Datafolha. No resultado real, Bolsonaro teve 46,03% dos votos válidos contra 29,28% de Haddad.

Veredicto: errouuu. Pesquisa mostrou 5,03 pontos percentuais a menos para Jair Bolsonaro e 4,28 pontos percentuais a menos para Fernando Haddad, um erro total de 9,31 pontos. Dada a margem de erro de 2 pontos percentuais, o erro fora da margem foi de 5,31 pontos percentuais.

Conclusão: a pesquisa que mais chegou perto do resultado é uma das menos divulgadas pela velha mídia

Ao contrário de Datafolha e Ibope, que erraram respectivamente 10,31 pontos percentuais e 9,31 pontos percentuais no primeiro turno, a pesquisa CNT/MDA foi a que mais se aproximou do resultado real com um erro total de 4,91 pontos. Dada a margem de erro da pesquisa (2,2 pontos percentuais), o erro fora da margem foi de apenas 1,23 pontos percentuais.

Outras surpresas foram as segundas colocadas, as também pouco divulgadas RecordTV/RealTime Big Data e CUT/Brasil247/Vox Populi. A primeira teve um erro total de 7,31 pontos percentuais e, considerando a margem de erro, teve um erro fora da margem de 4,03 pontos percentuais. A segunda, embora tenha um claro viés pró-esquerda (foi a única a superestimar as intenções de votos válidas em Fernando Haddad), teve um erro total de 7,75 pontos percentuais e errou 4,03 pontos percentuais fora da margem de erro. É possível falar que ambas acertaram o resultado de Haddad dentro da margem de erro, mas subestimaram a votação em Bolsonaro.

No pelotão do erro total próximo de 10 pontos percentuais ficaram, além das previamente mencionadas Datafolha (10,31) e Ibope (9,31), duas pesquisas muito compartilhadas nas redes sociais: Crusoé/Paraná Pesquisas (8,81) e XP/Ipespe (9,31). Em outras palavras: os resultados destas pesquisas devem ser vistos com extrema desconfiança.

Por fim, temos aquelas pesquisas que chutaram muito longe do gol: BTG Pactual/FSB (erro total de 13,31 pontos percentuais) e Datapoder360 (15,31). Ambas subestimaram e muito o resultado de Bolsonaro. É possível argumentar, com razão, que a pesquisa BTG Pactual/FSB não captou os resultados da última semana de campanha porque foi realizada no final de semana anterior e divulgada na segunda-feira (01/10), seis dias antes do primeiro turno. No caso da Datapoder360, entretanto, isso não é possível: a pesquisa foi divulgada na sexta-feira antes da votação, no mesmo dia da segunda pesquisa que mais chegou perto do resultado, a RecordTV/RealTime Big Data.

Contribua com o trabalho da Agência Caneta: clique aqui

4 comments
  1. Ao olhar para pesquisas tive o interesse de analisar, apesar dos erros de todas em chegar os números reais, qual chegou mais próximo de acertar a diferença entre os dois candidatos?
    Bolsonaro teve 46,03%
    Haddad teve 29,28%
    A diferença foi 16,75%.
    Então, ao analisar as 9 agências de pesquisa, aquelas que tecnicamente acertaram a diferença foram:
    1- XP/IPESPE: 16%
    1- IBOPE: 16%
    Em ordem, das que mais se aproximaram até as que menos chegaram próximo temos:
    2- CRUSOÉ/PARANÁ PESQUISAS: 15,3%.
    3- DATA FOLHA: 15%
    4- CNT/MDA: 14,8%
    5- RECORDTV/REALTIME BIG DATA: 12%
    6- CUT/VOX POPULI (ou Brasil247/VOX POPULI): 9%
    7- BTG PACTUAL/FSB: 8%
    8- DATAPODER360: 6%

    Uma brincadeirazinha interessante.

  2. Análise das pesquisas baseando em votos totais. Uma vez que é exercício de futurologia descobrir quantos eleitores irão se abster e qual o percentual específico de cada candidato irão se abster. Logo, peço escusas a @Desesquerdizada, mas sua análise não tem sentido estatístico.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *