Em sua entrevista no Roda Viva nesta segunda-feira (22), Fernando Haddad (PT) mentiu sobre Lula ter sido condenado “sem provas”.

Há uma série de provas no processo contra Lula pelo recebimento de propina disfarçada de triplex. Em resumo, elas são:

 

  • documentos apreendidos na casa de Lula sobre o triplex;
  • documentos apreendidos na sede da cooperativa Bancoop;
  • documentos apreendidos na OAS;
  • notas fiscais da OAS e outras empresas contendo itens da reforma do imóvel;
  • mensagens de celular de Leo Pinheiro, ex-presidente da OAS, se referindo ao projeto do “chefe” e para marcar com a “madame”;
  • mensagens no celular de Paulo Gordilho, arquiteto e ex-executivo da OAS, citando reformas em “sítio” e “praia”;
  • testemunhos de Paulo Gordilho declarando que tinha conhecimento de que o triplex estava reservado para Lula desde 2011;
  • mensagens no celular de Marcos Ramalho, executivo da OAS, citando visita ao triplex de Fábio Luis, filho de Lula, em 2014;
  • testemunhos de funcionários da OAS que disseram que a empreiteira não costumava personalizar imóveis à venda;
  • testemunho de gerente da OAS, que disse ter acompanhado visita de Lula e Marisa ao triplex no início de 2014;
  • testemunho de engenheira da OAS, que disse que acompanhou visita de Marisa e Fábio ao apartamento em agosto de 2014;
  • testemunho de funcionário da empresa Kitchens, que confirmou a contratação para duas cozinhas, no triplex e de um sítio em Atibaia;
  • testemunho de sócio da Tallento, que disse que acompanhou visita de Marisa e Fábio ao triplex;
  • testemunho de zelador do Solaris, que confirmou visita de Lula e Marisa e de nenhum terceiro;
  • depoimento de Leo Pinheiro, ex-presidente da OAS, confirmando o esquema criminoso da Petrobras e que se reuniu com Lula para tratar do triplex em 2014;
  • depoimento de Agenor Franklin Magalhães Medeiros, diretor da área de Óleo e Gás da Construtora OAS, confirmando o pagamento de propinas na Petrobras e que ouviu que o triplex e o sítio em Atibaia seriam debitados do crédito do PT com vantagens indevidas;
  • nota do Instituto Lula, de 2014, com incongruências;
  • contradições de Lula em interrogatório.

Contribua com o trabalho da Agência Caneta: clique aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You May Also Like