Um café feminista em Sydney (Austrália) que cobrava 18% a mais dos homens lacrou as portas no último final de semana.

O “Handsome Her”, criado por uma lésbica vegana, foi notícia em 2017 quando anunciou que combateria a “diferença salarial entre os gêneros” cobrando mais caro dos homens e permitindo que as mulheres fossem servidas primeiro. Menos de dois anos depois, veio o clássico resultado: “quem lacra, não lucra”.

Na página de avaliação do café no Tripadvisor, é possível ver que o lacre se voltou contra os próprios lacradores: a maioria dos comentários avalia o agora ex-café como péssimo, alegando que eles “discriminavam mulheres trans, perguntando se era homem ou mulher e cobrando a mais por ter nascido biologicamente homem”, “parecia que os garçons não tomavam banho há dias por causa do fedor”, além de críticas à discriminação e à segregação promovidas pelo espaço.

Um dos ex-clientes, revoltado, afirmou que solicitou uma garçonete por mais de meia hora e, quando ela finalmente apareceu, informou que “ele esperou porque é um homem branco cisgênero e teria que esperar até que todas as mulheres fossem atendidas antes de fazer o pedido”.

E foi assim que o café foi lacrado para sempre.

Café feminista, lésbico e vegano: lacrou, não lucrou e foi lacrado
10 comments
  1. Querem combater injustiças não com justiça, mas com mais injustiças! Comam do pó da derrota e vivam com a certeza de terem sido as únicas causadoras de sua falência e não o “malvado gênero masculino , hétero e branco”.

  2. Nem só de lésbicas veganas o mundo é feito. O que mais me espanta é um hetero entrar num lugar desses. Eu morria sem café

  3. Quem lacra não lucra é igual a lei da gravidade, não tem como escapar. Parabéns aos idiotas que nos dão tantas alegrias diariamente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You May Also Like