Para cumprir uma promessa de campanha antes das eleições, o candidato ao governo de Minas pelo Partido Novo, Romeu Zema, e o seu vice, Paulo Brant, firmaram compromisso em cartório nesta segunda-feira (27) para abrir mão de seus respectivos salários, caso sejam eleitos, até que o pagamento do funcionalismo estadual seja regularizado. Segundo Zema, a medida também valerá para todos os secretários em seu governo, enquanto o parcelamento dos salários não for extinto. “Eu, meu vice e o secretariado não iremos receber nossa remuneração enquanto houver um servidor público ou aposentado recebendo salário atrasado. É uma promessa de campanha e queria registrá-la”, disse o candidato. Romeu Zema recebeu 42,7% dos votos válidos e disputará o segundo turno contra Antonio Anastasia (PSDB), segundo colocado no primeiro turno com 29% dos votos válidos. O atual governador do estado, Fernando Pimentel (PT), ficou fora do segundo turno graças à ascensão de Zema.
Contribua com o trabalho da Agência Caneta: clique aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You May Also Like