Mulher que acusou juiz indicado à Suprema Corte dos EUA de estupro mentiu admineta

Uma mulher que acusou de estupro Brett Kavanaugh, indicado à Suprema Corte dos Estados Unidos pelo presidente do país, Donald Trump, reconheceu ter mentido para evitar que juiz fosse confirmado no cargo pelo Senado. A informação foi divulgada nesta sexta-feira (2) pela Comissão de Justiça do Senado americano.

Judy Munro-Leighton reivindicou a autoria de uma carta anônima, enviada à senadora democrata Kamala Harris, em que acusava Kavanaugh e outro homem de tê-la estuprada “várias vezes cada um” em um veículo. A carta estava assinada sob o pseudônimo de “Jane Doe” e foi negada por Kavanaugh.

Judy entrou em contato com a Comissão de Justiça do Senado em outubro, reivindicou a autoria da carta, manteve o que escreveu e afirmou que “tinha muito medo” de que seus dados fossem revelados. A identidade dela não foi divulgada na época.

Investigadores da comissão questionaram Judy na quinta-feira (1º), quando ela reconheceu que não conhecia Kavanaugh pessoalmente e disse que “só queria chamar a atenção” como uma “tática” para evitar a confirmação do juiz.

Contribua com o trabalho da Agência Caneta: clique aqui

1 comment
  1. Ééeee dona rede Globo.

    Lembro de suas críticas pelo Trump proteger este homem.
    Agora quero ver anunciarem a verdade de fato.

    Um dia esse império de podridão acaba se Deus quiser.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You May Also Like