Ilona Szabó de Carvalho, militante desarmamentista nomeada por Sergio Moro para o Conselho Nacional de Política Criminal e Penitenciária, deixou bem claro de qual lado estava durante as eleições.

Ilona foi uma das apoiadoras do manifesto “Democracia Sim” junto com Caetano Veloso, Chico Buarque, Gilberto Gil, Sônia Braga, Fernando Meirelles, Walter Salles, Camila Pitanga, Bruno Mazzeo e outros ícones da esquerda caviar brasileira.

“A candidatura de Jair Bolsonaro representa uma ameaça franca ao nosso patrimônio civilizatório primordial. É preciso recusar sua normalização, e somar forças na defesa da liberdade, da tolerância e do destino coletivo entre nós”, dizia o manifesto.

Ilona também foi roteirista e principal pesquisadora do filme “Quebrando o Tabu”, gerando a página homônima de militância de esquerda.

11 comments
  1. Exato, o caso é sério e precisa planejar o máximo possível. Precisa assim saber o que pensa as pessoas de bem e porque pensa assim. Só não pode dar voz àquelas pessoas que querem desarmar até a polícia e dizer que bandido que anda com metralhadora não oferece risco à sociedade.

  2. Essas nomeações são um tapa na cara dos eleitores, pois vai contra a vontade manifesta nas urnas de desesquerdizar o governo. Essa gente de esquerda é traiçoeira, corrupta e sem nenhuma confiança. É o mesmo que colocar raposa pra cuidar do galinheiro.

  3. Qual o critério do excelentíssimo Sr. ministro para essa indicação? Afinal, passar batido que a oposição foi posta dentro de casa, não rola. Indicação política, hum, piorou!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You May Also Like