A “TV Escola”, até o começo do mês mantida pela Associação de Comunicação Educativa Roquette Pinto (ACERP) mediante contrato de prestação de serviços com o Ministério da Educação (MEC), anunciou a demissão de pelo menos 70 funcionários nesta sexta-feira (27).

Outros 20 funcionários que trabalhavam na sede do MEC foram despejados do local na semana passada.

De acordo com dados do Ibope, a “TV Escola” possuía audiência nacional média de 0,02 a 0,04 pontos (14 a 28 mil espectadores) por dia, menor do que muitos vídeos no Youtube.

O contrato custava R$ 70 milhões por ano ao MEC, mas não foi renovado para 2020. O ministério é dono do espectro telectivo e até o momento não definiu o destino do canal.

A ACERP ainda mantém um contrato com o governo federal: a “TV Ines”, feita em libras, cujo contrato foi renovado apesar da audiência ainda menor do que a “TV Escola”.

A guerra pela aprovação da Reforma da Previdência continua. Faça parte: clique aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You May Also Like